segunda-feira, 21 de setembro de 2015

PdM - Capitão Solomon McConnor, o Alma Negra - Parte 3

Postagem de Oportunidade – Especial Dia Mundial do Pirata


Saudações, marujos! Conforme prometido (missão dada é missão cumprida! rs), segue a parte final desta série de artigos em comemoração ao Dia Mundial do Pirata (vocês podem ler as outras duas partes aqui e aqui). Espero que apreciem o material e que façam um bom uso do mesmo.

“Andem logo com isso, seus malditos sacos de carne podre!
A Sanguinária está ansiosa para banquetear-se com sangue fresco!”
- Capitão Alma Negra

Sua Aparência, Armas e Poderes:
Dizem que poucos foram os bravos que estiveram próximos o suficiente do Capitão Alma Negra em um embate para testemunhar seus poderes sobrenaturais e que sobreviveram a tal encontro para contar a história.

O terrível Capitão Alma Negra
Nestes parcos relatos, ele sempre era descrito como uma criatura alta e decrépita, trajando os farrapos do que outrora talvez tivesse sido uma imponente e suntuosa veste completa de capitão – bem como um pomposo chapéu tricorne –, mas envolto por uma aura caótica e espectral que, em alguns momentos, deixava vislumbrar o que talvez tivesse sido a aparência de Solomon McConnor em vida. Em sua face descarnada, ainda existia uma barba longa, farta e desgrenhada, e na órbita onde se encontrava seu olho direito bom, havia agora apenas um brilho verde e doentio, capaz de congelar a alma do mais corajoso dos homens que ousasse encará-la, mesmo que por pouco tempo.

Em combate, lutava com incrível habilidade e maestria – mesmo para alguém que possuía a perna esquerda de madeira – e crueldade atroz, ora empunhando um já bastante desgastado sabre, mas cujos golpes poderosos cortavam profusamente a carne e as feridas criadas fechavam-se com dificuldade, ora valendo-se de uma antiga, porém bela pistola, cuja munição profana parecia não se esgotar e atingia não somente o corpo, mas também o espírito de seus alvos – os quais ele dificilmente errava.

Aqueles que testemunharam suas vindas à terra firme, afirmam que em raras ocasiões o Capitão Alma Negra afastou-se mais do que umas poucas dezenas de metros de sua embarcação – ao contrário de sua tripulação, que parecia não ser vitimas de tal restrição (se é que realmente houvesse alguma) – mas também juram pelos ossos de seus antepassados que, quando ele bem almejava, era capaz mover-se tão rapidamente que parecia sumir e reaparecer em outro local de modo sobrenatural.

Diferentemente de seus comandados – almas condenadas, quase tão aterrorizantes e fantasmagóricas quanto seu líder – relíquias sagradas e grandes manifestações de fé proporcionadas por homens santos, em pouco ou nada pareciam afetar o Capitão Alma Negra.

Mas, dentre os recursos à disposição do Capitão Alma Negra que se tem conhecimento, o mais impressionante ainda é sua embarcação, o “Subjugador de Tempestades”. Reza a lenda que, este outrora imponente galeão seria a mais impressionante e poderosa nau de batalha até então construída nos reinos civilizados, e que fora audaciosamente roubada por Solomon McConnor, no dia de sua viagem inaugural (o maior de seus feitos realizados ainda em vida), e que depois disso, ele ainda recebeu diversas melhorias, fruto das melhores tecnologias náuticas que a pirataria e contrabando poderiam proporcionar.

Assim como o Capitão Alma Negra, sua antiga embarcação foi reconstruída pelos poderes da entidade para atender aos seus propósitos caóticos, e apesar da aparência decadente, o navio manifesta uma aura espectral tão sinistra e aterradora quanto seu capitão, além de outros elementos sobrenaturais, como uma velocidade e capacidade de manobra imprevisivelmente superiores aos de qualquer embarcação de porte equivalente.

Em seu diário pessoal, Joshua McGriffin, ex-capitão do navio ‘Intrépida Alvorada’, registrou detalhes de um rápido embate forçado que teve com este navio originado dos pesadelos. Em seu relato, ele descreveu vagamente o que chamou de “O Tormento dos Condenados”: após uma salva de tiros que danificou razoavelmente o ‘Subjugador de Tempestades’, o Capitão Alma Negra ficou tão possesso, que após um urro de fúria, ao invés de gigantescas esferas de ferro incandescente, os canhões de seu navio disparam imensos e fantasmagóricos crânios, envoltos por chamas espectrais tão sinistras quanto a existente no olhar do Capitão Alma Negra, e cujos gritos de desespero pareciam despedaçar o âmago da alma. Por um acaso e capricho da sorte, Joshua foi um dos poucos sobreviventes do naufrágio do ‘Intrépida Alvorada’, sendo resgatado alguns dias depois. Mas dizem que ele nunca se recuperou do ocorrido... ou pisou em outro navio desde então.

Rumores e Boatos:
  • Dizem que, há muito tempo atrás, um poderoso feiticeiro encontrou uma forma de realizar um ritual místico, capaz de invocar o espírito do Capitão Alma Negra, e assim, firmar um pacto com o mesmo.
  • Para realizar o ritual de pacto, é preciso possuir uma parte do tesouro que o Capitão Alma Negra tanto procura, o qual deve ser utilizado como pagamento pelos serviços prestados.
  • O ritual funciona apenas parcialmente (mais precisamente, a parte de invocação), mas sendo agora um imprevisível arauto do caos, o Capitão Alma Negra pode (ou não) aceitar realizar o pacto apenas por diversão... e matar o petulante invocador logo em seguida.
  • O Capitão Alma Negra consegue sentir a presença e intuir a localização do tesouro perdido, mas para isso, precisa que certas condições sejam favoráveis para fazê-lo, como uma forte tempestade.
  • Existe uma bússola mística que aponta sempre na direção de um tesouro muito cobiçado por quem a segura. O Capitão Alma Negra estaria também na busca de tal artefato.
  • A bússola mística seria atualmente talvez a única maneira de encontrar a ilha aonde encontram-se as ruínas do templo da entidade, uma vez que o mapa utilizado por Solomon McConnor fora destruído juntamente com ele.
  • Dizem que, após uma forte tempestade, o “Subjugador de Tempestades” pode aparecer como que vindo do nada, a qualquer momento e em qualquer lugar... inclusive locais intransitáveis para um navio do seu porte, como um lago ou rio não muito profundo, por exemplo.
  • O “Subjugador de Tempestades” é capaz de singrar pelo tempo e o espaço, viajando assim para épocas, planos e mundos diferentes, podendo inclusive estar em mais de um local ao mesmo tempo.
  • Dizem que, caso o Capitão Alma Negra ou sua embarcação sejam destruídos, eles sempre irão retornar enquanto a maldição não for quebrada.
  • Dizem que, quando alguém morre a bordo do “Subjugador de Tempestades” ou é morto pelo próprio Capitão Alma Negra, torna-se parte de sua tripulação de condenados.
  • O “Subjugador de Tempestades” é na verdade uma prisão para o espírito do Capitão Alma Negra. O que explicaria o motivo dele não afastar-se tanto do navio quando em terra.
  • O Capitão Alma Negra e o “Subjugador de Tempestades” agora são um só ser.
Alma Negra, o 'pirata original' (rs)
Notas do Veterano:
1) Este personagem foi inspirado em um NPC presente em um dos mapas do jogo Heroes of the Storm (Baía do Coração Negro), disponibilizado gratuitamente pela BLIZZARD ENTERTAINMENT, INC.

2) Uma recompensa extra de 100 pontos de experiência (virtuais, rs) para quem identificou logo de cara o “Easter Egg” descarado dessa série de artigos e relacionou o nome deste PdM a um dos icônicos personagens interpretado por Ramón Valdés (1923-1988).
Postar um comentário